Nossos Mestres

MESTRE TOG

Img 8446.profile

Mestre Tog

Barro
Goiana


Antônio José da Silva, o mestre Tog, é um dos grandes nomes da cerâmica figurativa do município de Goiana, Zona da Mata Norte pernambucana. Nasceu no dia 14 de maio de 1958 e cresceu tendo o barro como elemento de suas brincadeiras - condição da qual quase todas as crianças da cidade, grande centro produtor de artesanato, vivenciaram.

Quando menino, gostava de fazer bolinhas de barro, mas a profissionalização só viria décadas depois, em 1979, aos 21 anos de idade. Aprendeu o ofício com a sogra, Josefa Maria da Conceição, e com o cunhado Severino Soares. Dominou a técnica em menos de quatro meses e, inspirado em uma fotografia, fez sua primeira peça: uma imagem de Santa Bárbara. “Além da grande admiração que sempre tive pelo barro, o que me levou a trabalhar com ele foi o prazer da realização; de fazer algo com as próprias mãos”, assegura. 

Mestre Tog é artista popular da escola tradicional da cerâmica figurativa e destaca em seu trabalho personagens do universo popular (vendedores urbanos e trabalhadores rurais) e do religioso. Essencialmente usa as mãos na feitura das peças e as poucas ferramentas a que recorre, são criadas por ele mesmo. Adota o estilo rústico (crespo e crespo liso) no barro cozido e suas esculturas são carregadas de grande dramaticidade expressada em movimento e traços. 

Em abril de 1990, a convite da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), participou da III Via Sacra do Artesão Pernambucano - exposição realizada na Casa da Cultura em que 18 artistas apresentaram, em pedra, madeira e barro, suas leituras sobre as principais cenas da Paixão de Cristo. Sua escultura, Cristo Conversa com sua Mãe, com 50 centímetros de altura, ajudou a projetar o seu nome inclusive para o mercado nacional. 

Participa da Feira Nacional dos Negócios do Artesanato (Fenearte) desde a primeira edição e nela foi premiado em três ocasiões. Em 2007, já no espaço destinado aos mestres do artesanato pernambucano, conquistou o Prêmio de Aclamação Sílvia Coimbra (escolha do público) do Salão de Arte Popular Ana Holanda, com a escultura São Jorge; em 2008, voltaria a arrebatar o prêmio com o trabalho A Boa Família Nordestina e, em 2009, com a peça A Família do Pagador de Promessas. “A minha inspiração vem do dia a dia da cidade, de sua história. Se pudesse voltar no tempo, certamente faria tudo novamente porque faço o que eu gosto. Só desejo ainda ter um espaço para ensinar porque é preciso repassar para as futuras gerações todo esse conhecimento que o barro nos dá”. 

Contatos:

Endereço: Loteamento Boa Vista, Quadra G, Lote 3, nº 11, Goiana. 

Telefone: 81.9.9201-2921

Texto: Rozziane Fernandes

Fotos e vídeo: César de Almeida




MÍDIA



Veja também:

- Acesse ao site do governo www.pe.gov.br
- www.fenearte.pe.gov.br